terça-feira, 29 de novembro de 2011

E lá se foram 10 anos...

O ano era 2001. Eu, no alto dos meus 11 aninhos, vivia sempre alegremente marcada pela beatlemania que, no ano anterior, havia tomado conta da minha cabeça e do meu coração. Eu até já me perguntava se um dia conseguiria ver o show de algum dos remanescentes dos Fab Four. Meu maior sonho era poder ver Paul, George e Ringo juntos num palco.

Até que (não lembro se foi no começo ou no meio do ano), divulgaram a notícia de que George Harrison estava com câncer. Apesar de não ter ficado "arrasada" num primeiro momento, isso acabou me preocupando muito. Tanto que várias e várias vezes, no alto da minha ingenuidade quase infantil, procurei mentalizar que ele se curaria.

Então, no dia 29 de novembro, acordei com o som de Beatles vindo da TV na sala (ouvido de beatlemaniaco é fogo, percebe músicas deles tocando de longe!). Desci as escadas e peguei ainda a frase dita por uma repórter: "George dizia que os anos mais loucos de sua vida foram ao lado dos Beatles" com imagens deles aparecendo.
Eu ainda estava sonolenta e sem entender o que acontecia. Perguntei então para o meu pai, que me olhou com cara de dó e disse sem rodeios: "morreu".

Eu congelei. Fiquei quieta vendo o resto da reportagem, sem conseguir esboçar nenhuma reação. Logo em seguida, subi correndo as escadas, entrei no quarto dos meus pais e liguei o rádio. Estava sintonizado na 89FM (que naquela época ainda era a "Rádio Rock") e, justamente naquele momento, transmitia um especial em homenagem ao George. Logo tocou "My Sweet Lord". Nesse momento, não me contive; desabei a chorar.

Muito à contra gosto tive de ir para a escola naquele mesmo dia, pois precisava apresentar um trabalho. Eu quase nem conseguia falar, os soluços eram inevitáveis. Minhas amigas procuraram me consolar, mas no fundo tenho quase certeza de que elas nem entendiam muito o porquê de eu ter ficado mal com tudo isso.

Quando voltei para casa, ouvi um especial que a Rádio Kiss FM fez, também homenageando o George. Além disso, o pessoal do Jornal Nacional gravou alguns famosos comentando a influência que o guitarrista dos Beatles teve em suas vidas. E eu acompanhava tudo isso com uma tristeza enorme.

A morte do George Harrison foi um dos fatos mais dolorosos que vivenciei até então. Demorou um bom tempo para a dor amenizar. Depois disso, nunca mais consegui ouvir músicas como "All things must pass" sem sentir um certo nó na garganta. Mas, com o tempo, fui me dando conta de que ele, com toda a sua espiritualidade que lhe era tão peculiar, não ficaria feliz em saber que sua ida para outro plano causou sofrimento a quem quer fosse. Por isso, passei a procurar pensar nesse assunto com a maior tranqüilidade possível. Ainda mais depois de ler em uma revista (não me lembro qual) que sua família afirma que ele partiu em paz.

Enfim, nem acredito que já passaram 10 anos desde então! Tanta coisa aconteceu, consegui finalmente ver shows de dois remanescentes dos Beatles... que loucura.

Desejo apenas que o "tímido" George esteja bem onde estiver.  Imaginar que ele e o John podem estar por aí fazendo um som juntos é um pensamento que me alegra enormemente.

Que hoje possamos, então, pensar nele com muito amor e serenidade.

Nunca esqueceremos de você, George ♥

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Eu, bamboleando!

Fiz um vídeo de mim mesma bamboleando, espero que gostem =)



P.S.: Estou devendo um post falando sobre o show MARAVILHOSO do Ringo, que foi sábado passado. Logo, logo eu posto, hehehe!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...