quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Desse nosso amor.

Vira e mexe e penso no quanto tenho sorte: quando eu era pequena, sonhava em um dia conviver com gente do meio musical, até mesmo porque sempre amei música. Até que um dia me deparei sentada em uma mesa de bar com três caras falando sobre amplificadores, sons, o próximo ensaio, etc. E um desses caras é o meu namorado. Quer dizer, de uma forma totalmente inconsciente, acabei exatamente aonde eu queria, e ao lado de alguém exatamente como eu sonhava.
Meu amor não se encaixa nos meus devaneios apenas por ser músico. Ele tem o que eu sempre quis encontrar em alguém: me entende, gosta de livros, conversa sobre os mais variados assuntos, não é superficial, odeia covardia, não muda sua essência.
E, acima de tudo, ele é o homem que eu amo.


Meu amor, Nelson, em várias épocas e lugares. Sempre guitarrista, sempre baixista. Nunca deixou de tocar e curtir som, e nem deixou de ser quem sempre foi. Nunca baixou a cabeça pra ninguém. Morro de orgulho dele.



E, por isso mesmo, é com grande prazer que agora posso falar aos quatro cantos do mundo:

Eu vou me casar com ele!

A maioria das pessoas diz logo de cara: "mas, casar agora pra quê? Você é tão novinha!". Ora meus queridos, não é porque sou "novinha" que não posso ter certeza do que quero. Nunca me senti tão bem ao lado de alguém quanto me sinto dele. Muitas vezes lembro de quando estamos juntos e sinto como se fôssemos parte de um todo quase que indivisível. Nossa essência tem uma ligação inexplicável e incrível, como se sempre tivesse existido. E sinto que, no fundo, sempre "esperamos" um pelo outro, mesmo vivendo em tempos e modos tão diferentes. Nos conhecemos no nosso momento certo, nem antes nem depois da hora exata, e isso pra mim só é mais um sinal de que tudo tem que ser ao seu tempo, não há como antecipar as coisas.

Muita gente vem dizendo que casamento é "uma instituição falida" mas, sabe, esse é apenas o clichê que o senso comum usa atualmente. Meus pais completarão 25 anos de casados agora, em 2010 (e isso porque minha mãe se casou "novinha", com 19 anos) e eles sempre foram para mim um exemplo de casal unido e cúmplice. John e Yoko não se desgrudavam, e viveram 12 anos juntos, apenas separados pela morte. Tenho certeza de que, se John estivesse vivo, eles estariam aí, firmes e fortes, com suas idéias revolucionárias. Tanto que até hoje a Yoko (@yokoono) leva adiante os projetos do Lennon.
Isso sem contar inúmeros casais, anônimos ou não, que se mantêm sempre sólidos, não deixando o amor se apagar pela rotina e percalços da vida. Sei que eu e meu amor seremos assim.
Nossa vida será muito linda e feliz, tenho certeza. Não somos o tipo de pessoa "folha seca", que vai aonde o vento nos leva. Temos os pés fincados na realidade, a cabeça centrada no que acreditamos, e o coração cheio de amor puro e sincero.


Amor eterno.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...