terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Balanço


Quase impossível é chegar a essa época e não fazer uma revisão do que aconteceu ao longo desses 12 meses.
Para mim esse ano pode ser mais ou menos resumido em uma palavra: intenso.
Porque passei de altos a baixos em questão de semanas, aprendi muito mais do que esperava, e vivi momentos que com certeza ficarão eternamente marcados na minha memória.
Dos dias ociosos em casa mudei para as manhãs no estágio e as noites na escola técnica.
Consegui finalmente, depois de anos tentando, visitar a rádio Kiss FM a até falei ao vivo no ar.
Tive dissabores, medos, incertezas e dúvidas. Coloquei um ponto final (mais tardiamente do que deveria) no que até então se arrastava e me consumia. Mas no fim, mal sabia eu que coisas lindas e inexplicáveis viriam a acontecer logo depois.

Porque enquanto passeava por novas expectativas, em meio à improbabilidades mais que prováveis e beirando a tênue linha que divisa o imaginável do inesperado, me deparei com o destino: e ele, num arroubo magnífico de bondade, me presenteou com o mais lindo dos amores. Daí por diante pude experimentar o que até então acreditava não existir. Um tipo de felicidade límpida e sincera, fruto dos sentimentos mais elevados que só começaram a despertar em mim depois que me permiti deixar o medo infundado de lado e me entregar a quem tem me proporcionado dias de alegria plena. Encontrei, sem querer, alguém tão parecido comigo que até assusta. E me surpreendo cada dia mais com a profundidade do amor e a sintonia fina que existe entre nós. Só posso dizer que, de todas as coisas incríveis que se passaram comigo, conhecer o verdadeiro amor sem sombra de dúvidas foi a melhor de todas. E se depender de mim, esse amor continuará fazendo parte da minha vida eternamente.

Agradeço a todos que passaram por minha vida esse ano. Algumas pessoas tiveram apenas a temporária função de me "ensinar" algo, e assim, tão rápido quanto surgiram, se foram. Outras, tenho certeza, chegaram para ficar. Essas, em especial o meu amor Nelson de Lima, têm seu espaço cativo, pessoal e intransferível em minha vida e meu coração.

O que resta agora é esperar que muitos outros bons acontecimentos ocorram nesse próximo ano que vem chegando. E que possamos ter maturidade suficiente para encarar qualquer tipo de problema ou imprevisto como simples oportunidades de aprendizado. No mais, tenho certeza de que muita coisa boa virá pela frente.

Que 2010 venha então.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Declaração de afeto

Recebi da minha amiga Rufina, do blog Alegria de Viver .
Escolhemos dez amigos para declarar a nossa amizade e nomeamos num post.
Cada um deverá nomear até 10, e assim sucessivamente.
Não há selos ou prêmios, apenas a nossa declaração de afeto.


Menin@ Yuna (http://menina-yuna.blogspot.com)
Jô (http://beirandoobrega.blogspot.com/)
Gilberto (http://gilbertolins04.blogspot.com)
Giovanna (http://issosemfalardasflores.blogspot.com/)


Minha declaração de amizade é uma música dos Beatles (tinha de ser!), afinal às vezes músicas conseguem dizer muito mais que qualquer outra coisa:


sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Ímpeto repentino de alegria

Viver,viver. Viver é algo maravilhoso.

Sentir energia pulsando junto com o sangue pelas veias, e os sentimentos aflorando à medida que o tempo passa; conhecer mais e mais pessoas e ter a certeza de que todas vão nos acrescentar algo assim como também faremos isso por elas...

Olhar ao infinito e vislumbrar horizontes felizes onde a dor já se foi e só restou sonhar, passar tardes assistindo ao pôr-do-sol e sentindo falta de lugares desconhecidos...

Nadar em mares, piscinas, riachos; flutuar no espaço dentro de nosso próprio inconsciente. E ver que o futuro só traz coisas boas. Viver, sabendo que nem tudo é maravilhoso, mas que ainda é possível haver paz de espírito.

Viver é saber que "os sonhos não envelhecem" .

A vida é apaixonante justamente quando esquecemos de tudo e nos deixamos fluir. É saber (ou pelo menos imaginar) o que é plenitude. É sentir amor.

Amor, esse tema tão "aclichezado", mas que é o propulsor da vida, o combustível da poesia concreta que é viver. Sentir amor é viver, sentir amor pelo vento, pelo mar, por si mesmo, pela nossa "alma gêmea", pelo mundo e o espaço. Infinito, silêncio, céu, amor.

Viver é não se ter medo da pieguice, da repetitividade, do ridículo, da crítica.
Viver é libertar a alma.
Viver é ser.
Nunca me senti tão viva.

Eu amo viver.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

"PENSAMENTOS - II " por Nelson de Lima

Como juntos pudemos por esses dias observar, existem relacionamentos tão falsos e maquiados, absurdos de tal maneira, que a tolice e o despautério se firmam como seu sustentáculo.

Muito ao contrário, nossa união é demasiada forte e intensa, que só em pensar fico tresloucado e no devaneio de te ver.

AMO-TE

NELSON

16/11/2009

22:27

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Por Nelson de Lima

PENSAMENTOS:

É certo que internamente nada evoluímos e que continuamos os mesmos bárbaros de outrora, e com isso onde hoje se encontra o amor?

Pobre e coitado do nobre amor..., atualmente acha-se dilacerado, corrompido e ofuscado pela banalidade, falsos valores e efemeridades...

...e diante de tanta mediocridade, como se situam aqueles que ainda no amor acreditam e desejam amar?

A esses restam-lhes, como em nosso caso, a benevolência das mãos do destino, aos demais, que os mortos enterrem seus próprios mortos.

Agradeço então ao destino por colocá-la em meu caminho.

Te amo nunca amei ninguém.

NELSON

12/11/2009

21:36"


--------


E eu, que desde pré adolescente não aceitava isso de ficar com qualquer pessoa justamente por ser contra a vulgarização dos sentimentos, encontrei sem querer alguém que pensa como eu.


Até nisso nós somos parecidos.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Escrito por Nelson de Lima, o meu amor.

THE BEATY AND THE BEAST

- I -


“...e com seu coração empedrado, a fera fitou a Bela, tomou-a por seus braços e a beijou...; a partir de então esmoreceu e sucumbiu-se ao amor.

- II -

“...e a fera, pelo amor caindo vencida, entregou-se à Bela de corpo e alma com a certeza de que seus sentimentos e seu coração jamais a enganariam.”

- III -

“ ...e assim viveram felizes para sempre.”


- THE END -

(e essa, de certa forma, é nossa história)

Selo oferecido pela "Alegria de viver"

"Dê este selo para 3 blogs que merecem virar um livro."

São eles: Menin@ Yuna , Poesia Eletrônica , e Beirando o brega.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Uma tarde dessas de verão

Dia claros, ar morno, aquela sensação de bem estar acompanhada de uma certa saudade.
A imagem de uma estrada enorme à frente e o mar, gigantesco, grandioso e imponente, dando o ar de sua graça logo ao lado. A estrada, a estrada. E o céu sem fim.
A noite que chega mais tarde, e esse cheiro de chuva que vem, mesmo quando não há tempestade à vista.

Uma sensação de que tanta coisa vem por aí.

E esse mar, ah, como é convidativo ao pensamento. O tempo passa, o vento bate no rosto, o que vem é a saudade, sempre ela, pesando. Saudade de lugares desconhecidos, de situações nunca vividas, de outros dias que nem sequer chegaram, e talvez nem virão.

Mas isso tudo se esvai, enqüanto The Band toca no rádio.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Getting better

Há um tempinho atrás achei que fosse morrer de tristeza. Levei um tombo emocional enorme, e desde então sentia uma dor horrível. Quem convive comigo pôde presenciar, foram tempos muito difíceis.
Mas, surpreendentemente (até mesmo para mim), me recuperei logo. E vejo agora que essa recuperação tão rápida era como um tipo de "preparo" para os dias lindos que viriam logo em seguida.

Porque então conheci alguém fora de série: um cara incrível e com muito conteúdo.
A princípio fiquei com medo de tudo o que ele poderia representar. Minhas cicatrizes ainda estavam sensíveis, não era fácil me permitir deixá-las expostas e acabar correndo o risco de que elas fossem abertas novamente. Mas, com o passar dos dias, fui amolecendo e me entregando a um possível novo sentimento. Vi que valia a pena arriscar.

E não me arrependo.

Não me arrependo porque ele é aquele tipo de pessoa que surge quando menos se espera, vai tomando espaço e demonstrando o quão incrível é capaz de ser.
Que é simples, mas rico em idéias.
Que sabe o valor das pessoas.
Que tem sonhos e objetivos, e deles não desiste.
Um homem brilhante. Que surpreende mesmo sem querer. Assume sua identidade sem se intimidar perante os outros e não é covarde .
Portador de experiência e maturidade, sem deixar de ter a vivacidade de um menino.
Alguém realmente admirável.

Não achei que eu fosse estar tão bem quanto estou agora, me considero uma pessoa de sorte por isso tudo.
Veremos o que virá daqui pra frente.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Nunca imaginei que um dia receberia algo tão lindo:

"Ode à ti ó doce e adorável Isa, a Bela;

Bem-aventurados sejam os néscios, que em estado de letargia provaram do róseo dos teus lábios, e que como títeres, não souberam que neles se encontrava o néctar dos deuses;

Bem-aventurados sejam os néscios, que em estado de letargia puderam conhecer do calor do teu corpo físico, e que de forma efêmera deixaram esvair teu etéreo corpo;

Bem-aventurados sejam os néscios, que em estado de letargia, ainda que eventualmente, consagraram-se em compartilhar venerável companhia e dela pouco se importaram;

Bem-aventurados sejam os néscios, que em estado de letargia te fitaram e em nada desconfiaram que em teus olhos repousava os segredos da imensidão dos céus;

Bem-aventurados sejam os néscios, que em estado de letargia, e como acéfalos, condescenderam-se com teu intelecto, sem nunca sequer imaginar a vastidão e profundidade dos mares nele contida;

Bem-aventurados sejam os néscios, que em estado de letargia te acharam apenas atraente ou bonita, conquanto sei que te se assemelhas a uma deusa, e que em teu altar, haja vista esta declamatória, deverias ser venerada e ter os pés beijados todos os dias...


LENNOS
05/10/2009
23:55 "

Isso foi escrito por alguém muito especial que vem me conquistando cada vez mais.
Fico simplesmente sem palavras, é lindo demais.
Aiai.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Disso que a gente sente

Alguma coisa boa, grande, simples e surreal que vai surgindo por dentro. Uma vontade imensa de conhecer cada vez mais. A sensação de que era isso mesmo que se esperava.
Inquietação que não permite se pensar em outra coisa. Lembranças boas vindo uma atrás da outra, e provocando um sorrisinho de canto de boca quase imperceptível.
O frio na barriga que volta depois de tanto tempo.
E aquela vontade de se estar perto. Quanto mais próximo, melhor. Mais e mais.

Andar de mãos dadas, sentir a presença. As idéias que batem, pensamentos sincronizados.
O tempo que corre quando deveria se arrastar.

E a gente assim, descobrindo o que nem se esperava, vislumbrando coisas lindas, se surpreendendo cada vez mais.

E um bem estar imenso crescendo no peito.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Sobre o Twitter

Tem gente que pensa que caí de pára-quedas no Twitter, e ainda questiona o fato de eu sempre ter falado mal desse negócio. O que esse pessoal não sabe é que eu tenho Twitter há séculos. Posso dizer que essa é a única modinha de internet que conheci antes mesmo de cair no gosto do povo (pelo menos dos brasileiros, porque na época já se falava disso por aí fora).

Foi em 2007, lendo uma edição da Revista Pix, que me deparei pela primeira vez com uma citação sobre o "pássaro azul". Logo vi que era uma proposta de site de relacionamentos meio chôcha. Sei lá, não me pareceu interessante ver o que as outras pessoas estão fazendo ou me preocupar em falar disso várias vezes ao dia. Ainda assim, resolvi criar minha conta e ver no que dava. Não deu em nada, pois como eu disse, naquela época pouca gente aqui no Brasil conhecia esse site. E como eu não estava muito a fim de ver o que gente desconhecida fazia, desisti de mexer com isso e abandonei minha conta.

Foi a partir daí que comecei a falar mal do Twitter. Achava chato mesmo. Mas, como todo mundo sabe, a moda pegou, e aí vi que talvez a coisa pudesse ter ficado mais interessante. E reativei minha conta.
Continuo achando algo sem graça. Leio muita coisa das pessoas que sigo e sempre fico com cara de "tá, mas e daí?". Realmente vez ou outra tem algumas coisas legaizinhas e tal, mas é raro.
O que mais me diverte nesse troço é que posso monologar. Principalmente quando me dá a louca e fico hiperativa (coisa que tem acontecido demais ultimamente), uso esse sitezinho para despejar meu nonsense descabido. Aí até que é divertidinho.

So, why don't you follow me??

;)

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Great

Depois de meses sofrendo como caixa operadora de supermercado e teleoperadora da Telefônica e me dando conta de que seria difícil arranjar algo melhor pra poder bancar a faculdade que com certeza farei, criei vergonha na cara e resolvi... fazer um curso técnico. ¬¬

A princípio não acreditava que conseguiria grande coisa com isso, até que em apenas 3 dias de curso, a surpresa: me oferecem um estágio no Banco do Brasil. E melhor ainda, consegui passar pela seleção e ser contratada. E a perfeição: o trabalho é exatamente como sonhei *-*

Porque nos empregos anteriores eu tinha que lidar com cliente, e isso é uma das coisas que mais odeio nesse mundo. Tanto porque sou tímida (jura?) quanto porque não tenho o menor saco pra aturar gente doida que nunca vi mais gorda querendo me destratar só porque tem problemas ou é mal comida; de problemas existenciais já me bastam os meus mesmo.

Enfim, além dos clientes, eu nem podia sair do local onde trabalhava. Se eu quisesse ir no banheiro, ou estivesse morrendo de sede, ou qualquer outra coisa, eu não poderia. Tinha que ter algum tipo de autorização dos supervisores, e eles sempre criavam empecilhos pra acabarem não me deixando ir.

Até que surgiu esse estágio e mudou minha vida [exagero mode on] . Fico quase o tempo todo na frente do computador, só mexendo no sistema interno do banco, posso ouvir música, levantar a hora que quiser e conversar com minha mais nova amiga Tamirys, que tem me ensinado todos os macetes do serviço.

Sabe, não querendo me achar, mas me considero uma pessoa de sorte. Estou onde sempre quis. Infurnada num escritório longe de qualquer contato com gente chata e trabalhando numa boa em algo que me deixa tranqüila. É, porque o serviço é meio repetitivo, coisa que adoro, pois minha cabeça viaja enqüanto faço 300 vezes a mesma coisa.

Eu não poderia estar melhor!!!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Recomendo

Blogs de Clarah Averbuck, em ordem de leitura e cronológica:


  1. brazileira!preta
  2. Adiós Lounge
  3. Clarah Averbuck

Essa moça é incrível. Viveu tanta coisa, escreveu demais. Uma bad girl inigualável. Nunca li nenhum livro que ela escreveu, mas pretendo.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Dia 13 de julho


Dia mundial do Rock e aniversário da Rádio Kiss FM, que ouço desde que foi inaugurada, em 2001. Desde 2005 que tento visitá-la, pois nesse dia emblemático eles dão espaço ao público, mas em cada ano eu tive algum contratempo de última hora, e cheguei mesmo a pensar que aconteceria a mesma coisa esse ano. Mas -aão! Fui, e foi foda demais!
Primeiro porque, antes mesmo de ir, enqüanto estava me arrumando, tive meio que uma "visão" de mim mesma no estúdio da Rádio anunciando a música "Oh Darling!" dos Beatles. Cheguei até a imaginar o locutor elogiando minha camiseta dos Beatles e tal, mas considerei isso tudo como uma grande viagem minha, e deixei pra lá. Aí, logo quando cheguei na rádio dei de cara com uns caras vestidos iguais ao Kiss (isso mesmo, aquela banda do baixista "linguarudo") e um deles chega em mim e começa a rasgar a maior seda pra minha camiseta. Só isso já foi legal, mas eu nem imaginava o que viria...
Entrei com mais 14 pessoas no estúdio da rádio, tirei foto com o locutor e tal... tudo normal. Aí ele disse apontando pra mim: "ela vai adorar a próxima música, porque é dos Beatles!" e colocou pra tocar um trechinho pra ouvirmos. E qual não foi minha surpresa quando vi que era... "Oh Darling!" !!!!! Não me contive e falei: "nossa, mas era a música que eu ia pedir!!" e ele "caramba, então foi transmissão de pensamento!".
Aí, antes da música tocar ele entrou no ar pra falar do povo que estava visitando a rádio e tal... apontou pra mim e me chamou pra falar no ar! Perguntou meu nome, elogiou minha camiseta, me fez sortear uma camiseta pra um visitante (que descobri depois que sorteei justo a menina que entrou comigo na rádio) e, de repente, falou: "anuncia a próxima música, que é a que você ia pedir!".
E então, exatamente como eu tinha imaginado em casa, eu anunciei: " 'Oh Darling!' dos Beatles"!

*morri*

Esse dia foi ótimoo!!

Eu e o locutor Alexandre Gomes


A música dos Beatles que eu tanto queria que acabei conseguindo anunciar:

sexta-feira, 10 de julho de 2009

A melhor vingança é ser feliz

Fiquei meio decepcionada. Disse pra meio mundo da minha alegria de ter passado entre os primeiros colocados na prova da ETEc e poucos demonstraram comoção de verdade. O pior de todos foi ele, meu namorado, o cara que naturalmente devia ficar bem com o meu bem estar. Ele apenas resmungou, quer dizer, fez um barulho meio parecido com um gemido mau-humorado. Nada mais. Nem um "legal" frio pra disfarçar. Justo o cara que tanto diz que me ama.

Mesma coisa foi com a pessoinha que falou várias vezes que queria me ver bem, que ficava feliz em me ver feliz. Que jurava que era minha amiga. Ela, que, mesmo já de cara virada pra mim, ainda assim me mandou mensagem pra dizer como foi ter ido na Led Slay pela primeira vez. Por isso mesmo a besta aqui pensou: "ah, acho que mesmo ela estando chateada comigo, vai ficar pelo menos um pouco feliz de saber da minha alegria". Mera ilusão minha. Porque a queridinha simplesmente apagou o recado que deixei.

Fiquei mal com isso tudo, mas minha tristeza durou pouco. Lembrei de repente do que li uma vez no blog da Cristiana Guerra:

"Entendi há pouco o sentido da frase que diz que 'o mineiro só é solidário no câncer'. As pessoas têm mais dificuldade de nos ver alegres, em evidência, chamando atenção. Não estão tão preparadas para isso quanto estão para nos ajudar no meio da tragédia. Esse aprendizado foi o mais duro. Entender que, ao contrário do que sempre pensamos, é nos momentos felizes que sabemos quais são os nossos verdadeiros amigos: aqueles que, além de ajudar, se contentam ainda mais com a nossa felicidade e continuam perto de nós, independente do nosso estado de espírito."

E é isso mesmo. Muitas pessoas só querem mesmo é ver a gente por baixo pra poderem nos consolar, tirarem uma de que são "grandes pessoas solidárias" e de quebra se sentirem superiores a nós. E quando vêem a gente se erguendo (muitas vezes contando apenas com nossa própria força, sem precisar de ninguém) sentem despeito. No mínimo porque sabem que não são capazes de fazer igual ou melhor. Vão sempre viver essa vidinha de merda, e querem que a gente fique também na mesma posição medíocre.

Não babies, não vou dar esse gostinho à vocês que só me querem pra baixo. Vou ser muito maior do que tudo o que vocês nunca nem imaginaram um dia conseguir.

Fica aqui o meu recado.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Alegria

Putaquepariu!!!!!!!!!!!!!!!
Pensa numa pessoa feliz, feliz e surpresa, feliz e surpresa e histérica!!
É, sou eu.
, ontem falei com a minha mãe: "amanhã sai a lista geral de classificação da Escola Técnica, espero poder pelo menos passar em segunda chamada..." E minha mãe:"ah, acho que passa sim."
Daí, a Isabelinha chega hoje, abre a lista e descobre QUE DOS 520 CLASSIFICADOS, ELA FICOU EM 8º LUGAR!!!!!!!!
*morri*

Cara, nunca achei que eu fosse ficar entre os primeiros em alguma coisa, não mesmo!
Tudo bem que estudei, na verdade estudei tão alegremente que até eu mesma estranhei a vontade louca que se apossou de mim quando comecei a estudar pra essa prova, mas esperava ter uma nota mediana.
Nossa, agora que lembrei, a prova foi um dia depois do meu aniversário, eu tinha virado a noite na casa do meu namorado, teve meia maratona em Santo André e os Tróleibus atrasaram muito, cheguei lá a tempo só por um milagre mesmo, porque por pouco não dei com o portão na cara. E quando vi a prova, tinha um mooonte de perguntas sobre exatamente o que eu tinha estudado! E-x-a-t-a-m-e-n-te tudo o que eu tinha visto em casa.

Ai, chorei demais, to feliz.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Mudanças

As mudanças assustam.
Mudanças são como um abismo:nunca sabemos se vamos sair inteiros dele,e por isso preferimos não nos arriscar. Mudanças são inevitáveis. Algumas imperceptíveis, outras dolorosas; e outras ainda, sublimes.Vale a pena mudar?
A partir do momento que é aceita de forma natural, já não é mais uma mudança, pois a real mudança é aquela que vai pulsando paulatinamente, até ser percebida ,quando na verdade já não é mais uma transição,e sim um estado definitivo.
Mudar não é abandonar a essência, e sim aproximar-se ainda mais dela. Estamos numa eterna busca por nós mesmos e, talvez no fim de tanta busca, nossa recompensa seja a liberdade.
Isso se até lá as coisas não mudarem.

sábado, 27 de junho de 2009

Em tempo

Nunca gostei de Michael Jackson. Tanto porque suas músicas e dancinhas nunca me interessaram, quanto porque ele "comprou" (diga-se: enganou o Paul pra poder conseguir) os direitos dos Beatles e vetou um monte de coisa relacionada a eles, só por saber que, mesmo a banda tendo acabado há anos, ainda era uma concorrente perigosa.
Enfim, fato é que de alguns anos pra cá o astro Pop tinha caído vertiginosamente de sua posição de ídolo, e mesmo os que no passado haviam dançado loucamente embalados por ele já não tinham mais tanto orgulho disso, tinham vergonha até. Michael virou uma piada, todos tiravam uma com a cara dele.
Aí, de repente, ele morre. E, como todo mundo que é famoso quando morre vira quase um "santo", não foi diferente nesse caso. Grades de programação de todos os canais de TV foram drasticamente alteradas de última hora só para encaixar os trocentos especiais em sua homenagem. Jornalistas "emocionados" narraram fatos de sua vida procurando ressaltar o lado bom, fazendo parecer que todos aqueles escândalos envolvendo sua vida fossem apenas meros detalhes; é, os mesmos jornalistas que em anos anteriores haviam feito questão de enfatizar os podres de Michael.
Ok, ele teve sua importância, principalmente nos anos 80, muita gente ainda era fã dele até hoje, e morte é sempre fato que causa comoção... é aceitável uma reação mundial a esse fato. Só não concordo com isso de transformarem o cara num "santo"! Pra mim isso beira à falsidade, embalismo.

E... pra quem não viu, Farrah Fawcett também morreu nesta quinta feira. Ela pra mim é tão ou mais importante que Michael Jackson. Que ela também descanse em paz.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Parabéns Paul!!



Hoje, dia 18 de junho, Sir James Paul McCartney (ou o "velho Macca" para os mais chegados), completa 67 anos. Como já foi dito em anos anteriores, ele conseguiu passar pelos supra-citados 64 anos, e muito melhor do que planejou na canção "When I'm sixty four", o que é de deixar qualquer fã muito feliz, diga-se de passagem.

O baixista dos Beatles, autor de algumas das mais belas canções de amor do século 20 só não vai receber minhas completas congratulações por que ainda não veio ao Brasil depois que me tornei beatlemaníaca, mas pode ficar tranquilo pois continuo nutrindo pelo garoto (já nem tão moço assim) um amor puro,sincero e eterno (Yeah,it's real love).

Enfim, que ele consiga se recuperar do baque econômico que sofreu recentemente e que todas as tolas canções de amor de Paul possam nos alegrar por mais muitos anos.


Because "the love you take is equal to the love you make."


(e depois de amanhã, quem sopra as velinhas sou eu, hehe... Aiai, por causa de dois dias eu perdi a chance de nascer no mesmo dia que o Paul...)

sábado, 13 de junho de 2009

Declare guerra

Outro dia eu estava vendo a foto de uma amiga minha no Fotolog dela, e pensei: "nossa, ela é tão bonita, como pode se deixar sofrer tanto por causa daquele besta?!". De repente aquele sofrimento todo dela não parecia me fazer sentido. Daí, logo depois, percebi que eu havia pensado igualzinho do jeito que algumas pessoas já falaram comigo: "você é tão bonita, não entendo como pode ficar tão mal por causa daquele cara! Na verdade, você nem deve ficar assim." Quando ouvia algo desse tipo, eu achava que era só um discurso clichê que sempre tentam usar pra nos consolar. Mas só quando apliquei isso à minha amiga, vi o quanto está certo.
Somos nós que sofremos pelos outros, que criamos tudo isso. Claro que é difícil controlar os sentimentos, mas nem por isso devemos permitir que nos façam mal gratuitamente. Devemos também levar em consideração o nosso valor, nossas idéias e opiniões.
Sei lá, tenho achado isso de ficar chateada porque o cara não ligou ou porque preferiu sair com os amigos do que ficar do nosso lado uma burrice. É, afinal, se o cara é tão insensível assim e ainda tá cagando e andando pro que a gente sente, pra quê perdermos tempo nos chateando? Pra quê tentarmos arranjar algum motivo pra ele ter feito isso, tentar nos convencer de que ele nos ama, sendo que está claro que não é verdade??

O melhor mesmo é "declarar guerra". Não no sentido de discutir e fazer o maior banzé, mas simplesmente não deixar barato. Ficar numa boa e não depender deles pra nos sentirmos bem. Acho isso a coisa mais inteligente a se fazer.

"Chega de passar a mão na cabeça de quem te sacaneia."

Nossos sentimentos são importantes demais pra deixarmos na mão de qualquer babaca.

domingo, 7 de junho de 2009

Incrível

Essa é a palavra que melhor define como foi o show da banda Beatles 4Ever que eu assisti dia 05/06 (sexta feira) no Teatro Clara Nunes em Diadema (ABC, região metropolitana de São Paulo).
Os caras são simplesmente ótimos.
Mostram imagens dos Beatles projetadas num telão atrás do palco, reconstituindo toda a trajetória deles. Tocam músicas de todas as fases, e se vestem de acordo com cada uma. As roupas, os trejeitos e brincadeiras são idênticos, e principalmente: o som. Eles reproduzem de forma tão fiel as músicas dos Fab Four que é de arrepiar. Sem contar que os caras são super simpáticos e descontraídos.
Eu esperava ver um show legal, mas minhas expectativas foram superadas. Saí de lá estatelada, tal foi minha emoção. Eles são demais, e não me canso de dizer isso, mesmo parecendo rasgação de seda (mas não é). Fã de Beatles é sempre meio enjoadinho quando o assunto é banda cover; eu pelo menos sempre fui, nunca achei que nenhuma conseguisse de fato homenagear decentemente os quatro rapazes de Liverpool, mas depois que vi os Beatles 4 Ever posso dizer: eles sim merecem, e muito, meu respeito.

video

Vídeo que gravei (o som tá meio ruim, mas é que minha câmera é tosquinha, releve).

terça-feira, 2 de junho de 2009

De algumas coisas que odeio

Odeio gente falsa, gente que não sabe o que quer, gente mal comida, gente tosca e invejosa, gente mal resolvida. Odeio gente que se apega à manias absurdas para poder se esquecer de seus problemas ao invés de encará-los de frente. Odeio sanguessugas. Odeio gente que menospreza minha inteligência achando que com histórias absurdas conseguem me ludibriar...
E principalmente: odeio gente covarde.
Esse povinho que não tem coragem de falar na cara o que incomoda, que prefere fazer intrigas e falar mal pelas costas do que resolver logo tudo de uma vez. Odeio de verdade quem não tem a mínima coragem de fazer qualquer coisa pra melhorar a própria situação, que tem medo da reação dos outros e vive paralisado. Pior de tudo é essa gente que além de ser covarde e ter inveja de quem não é, ainda quer que as pessoas ao seu redor também sejam.
O que me consola é que pessoas desse tipo um dia acabam tendo de aprender, de um jeito ou de outro, como sua postura é ridícula. Só depois que quebram a cara é conseguem ver o papel de besta que faziam voluntáriamente.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Micro análise televisiva

(MTV)
É tão engraçada a diferença entre um programa e outro em menos de uma hora!
Primeiro a gente tem a ilustre demonstração de João Gordo e sua postura "K.A.P.O.P" diante de clipes da moda. Além disso ele ainda faz questão de colocar um monte de vinis (o plural tá certo??) pra tocar enqüanto diz que se é pra ouvir um monte de coisa "nova" que parece cópia das antigas, é melhor ouvir as originais mesmo (coisa que concordo plenamente).
Daí logo depois, coladinho mesmo, vem o programa da Marimoon e tooodos os seu modismos ridículos, cheios de clichês sem graça!

Esse é um belo exemplo de o quanto a vida pode ser disparatada.

sábado, 16 de maio de 2009

Recorte e colagem

Me identifiquei muito com esse texto, que achei sem querer pelos Googles da vida:

"Relacionamentos - Arnaldo Jabor

Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:

- Ah, terminei o namoro...
- Nossa, estavam juntos há tanto tempo...
- Cinco anos.... Que pena... Acabou...
- é... não deu certo...'
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida é que você pode ter vários amores. Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro? E não temos essa coisa completa.

Às vezes ela é file, mas é devagar na cama. Às vezes ele é carinhoso, mas não é file. Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador. Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível. Tudo junto, não vamos encontrar. Perceba qual o aspecto mais importante para você e invista nele.

Pele é um bicho traiçoeiro. Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia. E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona... Acho que o beijo é importante... E se o beijo bate... Se joga... Se não bate...
'Mais um Martini, por favor...' E vá Dar uma Volta.


Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra. O outro tem o direito de não te querer. Não brigue, não ligue, não dê pití. Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar... Ou não. Existe gente que precisa da ausência para querer a presença. O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama. Que graça tem alguém do seu lado sob pressão? O legal é alguém que está com você, só por você. E vice-versa. Não fique com alguém por pena.
Ou por medo da solidão. Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.


Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia? Gostar dói.
Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração... Faz parte.
Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo. E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse... A pior coisa é gente que tem medo de se envolver. Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta. Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível. Na vida e no amor, não temos garantias. Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear. E nem todo sexo bom é para descartar... Ou se apaixonar... Ou se culpar...


Enfim... quem disse que ser adulto é fácil ????"

Momento superficial

Ah, sei lá. Deu vontade de fazer uma listinha teenager...
Falta do que fazer? Acho que não.
Falta de criatividade? Estamos quase chegando lá, hehe.

Lá vai:

Os 5 caras mais lindos do mundo (na minha humilde opinião!)
Em contagem regressiva.

5- Jimmy Page (Led Zeppelin): Esse rosto, o jeito de tocar guitarra, ai... arranca meus suspiros!

4- Eddie Van Halen (Van Halen): Sorriso inigualável, sem mais comentários (ai, que calor).

3- David Gilmour (Pink Floyd) : loiro, cabelo lisinho e cumprido, olhos azuis, expressão angelical... Lindo demais!

2- George Harrison (Beatles): não, eu não acho o Paul o mais bonito, sei á aquele jeito meio metidinho não me faz muito a cabeça. O que mais me encanta é o jeitinho tímido do George. Sem contar que ele foi o mais favorecido pelo corte de cabelo que os Fab Four usavam no começo da carreira (e que eu adoro por sinal!).

1- Rick Danko (The Band): nem meu pai, nem meu namorido Diego, nem John Lennon, ninguém! Ninguém (na minha opinião) supera a beleza desse cara (que por sinal é o único baixista dessa lista cheia de guitarristas...). A primeira vez que o vi foi quando eu tinha 12 anos, no filme/show "The Last Waltz", e embasbaquei. Meu "príncipe encantado" passou a ter o rosto dele. Inexplicável o que sinto quando vejo fotos dele (L) .




Aiai...


(Meu gosto não é duvidoso.)

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Pequenos clichês que de repente passaram a me fazer muito sentido

É impressionante como de vez em quando é bom ficar calada. Simplesmente não dizer nada, não reagir, deixar rolar naturalmente. Porque quando se cutuca demais uma coisa, pior fica. merda é assim: quanto mais mexe mais fede

Adotar uma conduta "ah é?" diante de um monte de coisa ajuda a gente a não se sobrecarregar de besteiras. Tudo bem que não é fácil manter a mesma linha mental 24 horas por dia, mas se pelo menos ficamos numa boa vez ou outra, acabamos pegando o jeito da coisa. Como tudo na vida, é uma questão de prática.

E não correr atrás demais (em determinadas situações) é sempre bom. Porque aí dá pra perceber o verdadeiro valor de muitas coisas.

--------------------------------------------------------------------------------------------

E adorei meu novo emprego, muito mais calmo que os anteriores.
Hoje só quero terminar de pintar minha camiseta.

E não vou correr mais atrás.


.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Nonsense

Aquela sensação suave, que parece melancolia, mas que ao mesmo tempo traz uma tranqüilidade raramente sentida. Uma certa saudade de coisas desconhecidas, a respiração levemente pesada, compassada, e o arrepio.
Incerteza de tudo, mas um certo brilho. Sem saber o que dizer, sem saber o que pensar, apenas sentindo.
O tempo passando, as expectativas crescendo, e a vontade de estar ao lado dele o máximo de tempo possível cada vez maior.
Vontade de ter o que não se pode, pelo menos por enqüanto não. Muita vontade.
E a suavidade de tudo isso fluindo cada vez mais ao redor.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Imagine...




Um dos mais inesperados e melhores presentes de aniversário que recebi quando completei 18 anos, em junho do ano passado, foi justamente este recém lançado livro de Julia Baird sobre sua vida ao lado de seu meio irmão John Lennon.

Confesso que antes desse livro eu nem tinha idéia de que o John tivesse irmãos,e me surpreendi ao saber de histórias escondidas por sua família. Para alguém que leu muitas biografias feitas por gente que nem sequer teve contato direto com nenhum dos Beatles, ler algo como esse livro é sem dúvida uma experiência nova e muito reveladora.

Um trabalho sincero, emocionante e inteligente, carregado de emoção mas muito longe de ser apelativo.

E qual não foi minha surpresa ao descobrir, ouvindo o rádio, que será feito um filme baseado nesse livro!!
E mais ainda ao saber qual será o nome do filme: Nowhere Boy.
Me lembra tanto o nome de um certo blog...


E se eu sou Nowhere Girl, devo tudo isso ao Nowhere Man :


quinta-feira, 9 de abril de 2009

Minhas utopias.

Ser prática, moderna, unir sempre o útil ao agradável, saber combinar bem qualquer tipo de roupa (até aquelas de trocentos anos atrás que nunca mais usamos), ser funcional, não ter ciúmes, poupar tempo, resumir bem em poucas palavras, ser aberta a novidades, não ser tímida, etc, etc.

Ô vidinha doida!!!

quinta-feira, 26 de março de 2009

Cada coisa, viu!

Morro de dó dessas pessoas que vivem em ilusão. Sabe aquele tipo de gente que bitola tanto numa coisa que começa a achar que faz parte dela? Então, tadinhos.
Tive um namorado que gostava tanto de Blues que se achava um bluesman simplesmente gênio. Fazia uma baita pose, se achava mesmo, mas atitude que é bom, nada. Ele até bebia Whisky e fumava, só porque os verdadeiros bluesmans faziam isso; o que ele esqueceu é que eles faziam isso só porque gostavam, não porque era "parte" do figurino.
Conheço também outras pessoas que fazem tanta pose e nunca saem do lugar. Vivem pensando ser o que não são, acham que já quase estão conquistando o mundo, mas vivem apenas no seu mundinho dentro de suas casas, fazendo pose pra si mesmos ou pra algum coitado que tenha que agüentar tanta loucura.
Sei lá, não é ruim gostar de coisas legais, mas acho que deve haver sempre um limite saudável pra tudo.
Ou, se essas pessoas acham mesmo que podem se igualar a um Muddy Waters ou Bob Dylan, mexam-se então!! Porque ao invés de ficarem se iludindo não criam alguma coisa que valha, divulgam e corram atrás pra se tornarem realmente reconhecidos?? Mas, sabe, beber Heineken e fumar Lucky Strike nunca vai te tornar alguém melhor ou mudar sua vida. fica a dica
Enfim, morro de dó de gente assim.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Selos

Selinhos da Menin@:



-Regras:

1º- Exiba a imagem do Manifesto e explique do que se trata;
2º- Poste o link do blog que te indicou;
3º- Indique 10 blogs de sua preferência para fazer parte dos 'Jovens que Pensam';
4º- Avise seus indicados;
5º- Publique as regras;
6º- Confira se os blogs indicados repassaram a imagem e as regras! Pronto! Você já faz parte deste Manifesto!

-Proposta do Manifesto:
"Mostrar que aquela história de que a juventude está perdida é uma generalização tola e sem sentido. Como a autora da proposta explicou: 'Existem SIM muitos jovens que pensam e tem seus ideais, que debatem, e que querem mudar o mundo. Mas querer não é o suficiente. Com o blog, conheci jovens brilhantes que estão perdidos por esse grande Brasil. Vamos nos unir e mostrar que nem tudo está perdido! Nós podemos fazer a diferença sim!' Como o nome do selo é 'Jovens Que Pensam', estarei indicando aquelas pessoas que eu considero jovens e que pensam: na minha opinião, o que define uma pessoa jovem não é somente a idade ou a aparência, mas seu espírito e sua personalidade."


Indicados:
-Gi
-Jô
-Gabriel Seabra
-Olívia
-Ayvu
-Tata
-Nicole
-Danielle Danelon
-Beatriz
-Eduardo Corrêa



-Regras
1) Exibir a imagem do selo "Seu blog é ROXIE!" e escrever essas regras abaixo dele.
2) Colocar quem te deu o selo nos seus blogs indicados (amigos).
3) Escrever 5 coisas que são ROXIE (1ª sobre música, 2ª sobre televisão e cinema, 3ª três países (ou cidades) que gostaria de conhecer, 4ª três cores favoritas e 5ª três hobbies)
4) Indicar 10 blogs que você ache ROXIE.
5) Avise a pessoa.

Coisas que são ROXIE:

1- Beatles, Pink Floyd
2-Snoopy e Vila Sésamo

3-Inglaterra, Alemanha e Argentina
4- Azul, preto, verde e branco
5- Escrever, pintar, ouvir música, falar com meu amor

Os blogs são os mesmos do selo anterior ;)

.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Delírio



Máquina de vidro. Suave mecanismo transparente. Puro em seus reflexos, sincero em seu funcionamento, deixa transparecer tudo o que traz por dentro. Cristal em luz ofuscando a mente, aprofunda os sonhos e prolonga a visão. Máquina sem cor, máquina brilhante, reluz e traz cores qual um diamante. Máquina, máquina. Arco-íris invisível que traz a saudade esquecida, saudade em cacos que ressurge com a vida. Que sua mecânica simetricamente planejada se alie à beleza de seu sentimento incolor. Máquina, máquina.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Então


A gente passa tanto tempo procurando por respostas de todo o tipo que acaba até esquecendo que muitas delas podem já estar dentro de nós mesmos. Ou que podem ser encontradas apenas ajustando-se as lentes, mudando-se a forma de ver as coisas. É naqueles momentos de insight, em que tudo faz sentido, que conseguimos perceber o quanto nosso subconsciente é rico.
Detalhes do comportamento humano tão repetitivos e comuns que muitas vezes não entendemos podem ser justamente aqueles que nos caracterizam.
E tudo é um grande ciclo, um vai e volta interminável. Talvez a melhor forma de se aprender sobre tudo seja através da naturalidade. E das lentes certas.

segunda-feira, 9 de março de 2009

...

É engraçado ver o quanto a vida pode ser louca, e como Deus é um cara legal. Se por um lado ficamos mal por alguns problemas tão ínfimos, por outro coisas simplesmente incríveis acontecem e nos colocam de novo pra cima.
Perfeito, perfeito.

Mas eu não posso esquecer:

"Life is very short
and there's no time
for fussing and fighting,
my friend."

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Só uma opinião.

Estou lendo "Mein Kampf", livro escrito por Adolf Hitler, recomendado pelo meu namorido que é aspirante a neo-nazista fajuto. Me interessei por ele porque queria saber mais sobre esse personagem obscuro do século XX, indo além do que aprendi nas aulas de história da escola. Aí me deu vontade de dizer:

Pra mim Hitler não foi todo esse FDP que dizem. É óbvio que ele fez muita merda e prejudicou milhares de pessoas, mas acredito ele era um grande louco. Não aquele tipo de louco que traz boas revoluções ao mundo, mas aquele louco pinel bitolado mesmo.
Ele era muito inteligente, mas também presunçoso. Sem contar que usava demais de falsa modéstia pra se auto-promover.Defendia doidamente o nacionalismo, tanto que passou a acreditar que pessoas como judeus eram os culpados por todos os problemas da Alemanha, e que essa "raça" deveria ser exterminada para o bem de todos os povos que quisessem manter o mundo são. Daí dá pra se ver o nível de loucura desse cara.
Não discordo totalmente do que ele diz em seu livro, em alguns pontos tenho de admitir que ele tinha muita razão, como por exemplo quando dá o espaço de um capítulo inteiro para falar sobre "propaganda política" para as massas. Esse tipo de propaganda é usada até hoje para incutir idéias nas cabeças dos mais desavisados.



O legal de ler coisas desse tipo é que podemos ter visão dos dois lados da história: o que aprendemos e assimilamos como verdade,e o que realmente aconteceu. Aliando essas duas partes e procurando ver o que realmente tem fundamento, podemos tirar conclusões completas sobre vários assuntos.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

De operdora para... operadora

E ue que já fui opredora de caixa em mercado (http://isalennon.blogspot.com/2008/10/vida-de-operadora.html) agora passo meus dias sendo... operadora de Telemarketing!
Oh vida injusta essa,que nos leva a caminhos tão parecidos...
Pelo menos agora não tenho que olhar para a cara dos clientes, nem quebrar galho como empacotadora, lacra-volumes,etc,etc.

Mas já tenho ido dormir com o som das chamadas na cabeça.
E se você que mora em São Paulo, um dia ligar para a Telefônica, cuidado: você pode ser atendido(a) por mim!


Ai,que texto inútil.

sábado, 31 de janeiro de 2009

A day in my life

Ontem foi um dia legal. Conheci o lugar onde vou trabalhar e descobri que praticamente vou estreá-lo; sem contar que esse emprego é até melhor do que eu imaginava.
Tinha chovido muito durante a tarde,então na hora de ir embora o céu estava muito doido: de um lado nuvens escuras, e do outro nuvens bem cor de rosa contrastando com um pedaço do céu azul que começava a aparecer, a coisa mais linda.
O melhor foi quando olhei para trás pra poder atravessar a rua: dei de cara com um arco-íris simplesmente incrível no céu.

Perecia um sonho.
É em momentos como esse que vejo o quanto a vida vale a pena.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Como meio mundo por aí, eu também não consigo definir o que é liberdade. E vivo nessa vontade utópica de defini-la. É até divertido esse tipo de coisa, ajuda a passar o tempo nesses dias em que o ônibus e o metrô tem sido companheiros de horas a fio. Me senti bem esses dois últimos dias,com uma sensação que quase arrisco a dizer que era liberdade. Mas não digo com certeza que é porque tenho medo. Sei que foi algo bom o que senti.Porque estive num dos lugares que mais admiro aqui em São Paulo: o Viaduto Santa Efigênia. Lugar lindo,com uma vista muito legal, e onde carro não passa.Mais legal ainda foi quando começou a chover,e eu fiquei sozinha caminhando lá, só com meu guarda-chuva.


E o melhor de tudo foi saber que terei de ir lá todo os dias...



sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Modismo revival??

Acho engraçado o que vem acontecendo: de uns tempos pra cá a mídia vem desenterrando artistas que realmente foram legais mas que depois de anos de sua morte foram sendo esquecidos. E aí de repente, por causa de um especial de TV, ou uma biografia nova lançada à respeito, todo mundo passa a "adorar" esse artista de novo; ele volta à moda.
Foi assim com o Tim Maia,por causa do livro do Nelson Motta e do "Por toda a minha vida" da Globo. E agora a moda é a Maysa.
Tudo bem que ela era uma figura diferente,com muita coisa interessante,e cantava muito bem. Mas o que impressiona é que só por causa da minissérie meio mundo passou a se dizer fã, colocar fotos dela no orkut e fazer questão de colocar no MSN que está sempre ouvindo suas músicas. Não duvido nada que daqui algum tempo arranjem algum jeito de relançar algum outro artista falecido e de que essas mesmas pessoas que diziam "adorar" Maysa mudem rapidamente seu foco.

É realmente estranha essa coisa toda.

Selo


Obrigada Giovanna (http://no-meio-da-multidao.blogspot.com/), de verdade.
É muito legal saber que gostam daqui.
:)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

"Agora é moda, tentar salvar a natureza.
Agora é moda, achar que tudo é uma pobreza"



Rita Lee escreveu essa música no final dos anos 70,e continua atualíssima. É,porque a moda do "politicamente correto" ta aí,mais forte do que nunca. Não é que eu condene boas ações relacionadas ao assunto,mas tem muita gente que só tem procurado auto-promoção sobre isso e seriedade que é bom,vai pro espaço.
Assuntos como aquecimento global,preservação do meio ambiente,etc., estão presentes há muito tempo,mas só agora resolveram dar um ar mais fashion a isso,inserindo o assunto no meio cult.

Acho que muito melhor do que falar,é dar o exemplo. Cuidar do planeta com certeza é dever de todos,mas nem por isso deve ser tranformado em produto comercial.

sábado, 17 de janeiro de 2009

Desbunde


Adoro essa palavra. Um pouco estranha,é verdade,mas cheia de significado. Muito usada nos anos 70, essa gíria significa algo como alegria, loucura, colorido, descontração. E é disso que estou precisando. Nesses dias estranhos em que idéias fixas rondam nossa mente, não há nada como um desbunde. Ligar um som legal, por uma roupa colorida e sair dançando. Ou simplesmente ler um livro. Esquecer do namorado,relaxar os músculos e deixar de lado o que preocupa. Desanuviar.
Não há nada como sentir-se livre e bem consigo mesmo. Acreditar que há algo brilhante em nossa mente. Que podemos tudo.
Não há nada como agir espontâneamente,sem um pingo de preocupação com o "bom senso" e a ridícula noção do ridículo.

Vou desbundar por aí,nas curvas do meu pensamento.


quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Quem dera

Quem dera se eu tivesse a vivacidade intensa de Janis Joplin,a inteligência de Einstein,a genialidade descontraída do John Lennon... Quem dera se eu tivesse um pouco do que se destaca em cada pessoa do mundo. Mas daí eu já não seria mais eu,e sim um mosaico do que existe de melhor nesse mundo. E ainda assim seria um pouco eu também,afinal também faço parte disso tudo. Mas não sei o que seria parte de mim nesse todo. Afinal,nunca sabemos o que existe de melhor em nós mesmos.
Grande ironia essa: somos as pessoas que mais convivem consigo mesmas,e ainda assim somos a que menos nos conhecemos.

Quem dera se eu pudesse me conhecer melhor...

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Flexível

É muito legal ver o quanto o blog pode ser funcional. Vejo tantos diferentes,com diversos templates legais e textos fora do comum,bem a cara do dono. E até fico feliz de viver numa época onde temos chance desse espaço nosso chamado blog. Pois é inevitável lembrar daquela época em que grande parte do que se queria dizer era censurado e/ou tinha de passar por anáise prévia de pessoas estanhas antes de ser publicado. Isso já era. E graças a Deus!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...